Microsoft admite que ninguém tem tempo para ‘remover mídia com segurança’

Usuários mais cautelosos do Windows sempre “removem com segurança” seu USB de sua máquina usando a opção “Ejetar mídia” da barra de tarefas. A Microsoft agora esclareceu que, embora isso tenha sido recomendado em versões mais antigas do sistema operacional, isso não é mais um requisito em versões mais novas a partir do Windows 10 versão 1809, graças a algumas novas configurações.

Em uma nova página de suporte, a Microsoft observou que, nas versões anteriores do Windows, a opção padrão para dispositivos externos conectados a seus computadores era “Melhor desempenho”. Essa política permite que o sistema operacional armazene em cache as operações de gravação no dispositivo externo para garantir a integridade dos dados, mas a desvantagem é que os usuários precisavam remover “com segurança” seu USB após o uso.

Com o lançamento do Windows 10 versão 1809, isso foi alterado para que a configuração padrão seja agora “remoção rápida”, que não permite que o sistema operacional armazene operações de gravação, mas permite que as pessoas puxem o USB do dispositivo a qualquer momento. Dito isso, não é recomendável que as pessoas façam isso quando as operações de gravação estão sendo executadas no dispositivo externo e isso pode “prejudicar o desempenho do sistema”.

Você pode configurar essas políticas para cada dispositivo externo e o Windows as lembrará mesmo depois de remover o dispositivo. Você pode consultar a documentação da Microsoft para ver quais opções modificar nas configurações de “Gerenciamento de Disco” para aproveitar um desses recursos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.